Pular para o conteúdo principal

Postagens

O "River" do Leon Bridges

Postagens recentes

Melhor a paz em terras estrangeiras, do que tormento em casa

Ainda quando pequeno Salim e sua família deixarama Palestina rumo a Síria, tentando fugir do conflito Israelo-palestino que ainda se perpetua até os dias de hoje. Ironicamente, Salim teve que deixar a Síria por conta dos conflitos que hoje assolam o país que por muito tempo lhe acolheu.




Antes mesmo da guerra civil, a Siría, assim como o Brasil, nunca apresentou um cenário político social muito estável durante o governo de Bashar al-Assad, sucessor de seu pai Hafez. Em 2011, na cidade de Deraa foi cenário de diversos protestos pró-democracia inspirados pelos levantes da Primavera Árabe em países vizinhos. E após a resposta violenta do governo contra dissidentes, enclodiram manifestações pedindo a renúncia do presidente. O cenário de revolta cresceu juntamente com a repressão, dando início a um conflito armado que a principio era para defesa. Toda essa tensão foi alimentada após a promessa  de Assad de findar com o “terrorrismo apoiado por estrangeiros”.
Dentro desse cenário de guerra…

A tal da sororidade

Todos os dias vejo textões de mulheres falando sobre o apoio entre as mulheres, frases do tipo "Support Your Girl Gang" "Mulheres devem se fortalecer" mas vejo que muitas nem sabem o que é, de fato, a sororidade. Hoje nós vamos entender de uma vez por todas e discutir o que é essa tal de sororidade tão falada na causa feminista.





Todas nós, mulheres, sabemos o desafio que é ser mulher. O quanto temos que provar que somos boas, boas profissionais, boas amigas, boas esposas/namoradas, boas mães, boas filhas. Somos provadas o tempo todo e por todo mundo. E, não podemos negar, vivemos em uma sociedade competitiva, Chimamanda Ngozi Adichie diz que:
We raise girls to each other as competitors not for jobs or for accomplishments, which I think can be a good thing, but for the attention of menCriamos garotas para serem competitivas entre si, não por trabalhos ou por realizações, o que acho que seria algo bom, mas sim pela atenção de homensOlhar outra mulher como rival é alg…

Estar viva, por si só, já é um manifesto

The Handmaid's Tale - O Conto de Aia estreou na sexta-feira do dia 8 de fevereiro,  na plataforma de streaming Globoplay e já chegou com os dois pés na porta trazendo uma poesia de Kimani, ganhadora do Slam BR 2017, intitulada Mostra Pra Eles, Mulher.




  Kimani é uma poetisa, muito mais que respeita, vinda do Grajaú, em suas linhas ela traz protesto e identidade e não foi diferente em Mostra Pra Eles, Mulher. A poesia tem como ponto principal a questão de ser mulher em uma sociedade machista e exclusiva. Situações também retratadas na série, onde mulheres, de uma hora para outra, perdem seus direitos, suas identidades e vontades passando apenas a servir e ser propriedade de um outro alguém. 
  Mostra Pra Eles, Mulher, é uma crítica ao papel que deram à, nós, mulheres de ser submissa, recatada e reprodutora. Em um dos versos Kimani diz:
Abençoado seja o fruto! Criada pra servir a qualquer custo. Só reproduzir, só reproduzir. E desde quando o senhor se preocupa com o que eu vou sentir…

7 COLORS Shows para pôr no Repeat

Finalmente estou vindo aqui falar de uma coisa que eu amo... Música!
  Eu sou simplesmente apaixonada por ouvir lives especiais, onde o músico pode brincar com a música e deixar diferente do que é a versão do estúdio. E adivinhem tem uma plataforma incrível que só junta gente fera para dar um show em um cenário todo alternativo, e ela se chama COLORS.
Nesse post eu separei alguns shows que eu acho sensacionais. Obs.: Eles não estão divididos por preferência nem nada do tipo.

Best Part - Daniel Caesar

 O primeiro tinha que ser ele, esse cara simplesmente tem uma voz que aí, é uma delícia de ouvir, além de ser um ótimo compositor. E essa música só precisa ser ouvida 1 milhão de vezes por qualquer pessoa, e é ainda mais especial quando a gente descobre que ele e a H.E.R escreveram. E nessa live que é só ele, uma xícara de café e o a base, mexe com meu coração.



Blue Lights - Jorja Smith

O que falar de Jorja Smith, uma p**a cantora, meu Deus do céu. É só muito bom e não há mais o que falar des…

Tá tudo bem em não estar bem - Setembro Amarelo

Esse mês é um mês muito importante e merece ser falado em todos os lugares, porque é o mês do Setembro Amarelo.
  O Setembro Amarelo surgiu em 2015 idealizada pelo Centro de Valorização a Vida e é uma campanha para a prevenção do suicídio. E por essa razão devemos falar e valorizar muito muito essa campanha.
  No Brasil é registrado em torno de 30 suicídios por dia e esse ainda é considerado a quarta causa de morte entre os jovens. Falar de suicídio é quase tão difícil quanto tratar de sexo. Mas muitas vezes tudo que um suicida precisa é de alguém que o ouça sem julgamentos e preconceitos. E não podemos deixar que o assunto suicídio seja pauta apenas no mês de setembro, precisamos falar dele agora e depois também.
  Todos temos dias ruins, dias em que não enxergamos um sentido para continuar nossa caminhada mas eu te asseguro de que tudo vai ficar bem. É importante estarmos conscientes de que situações são passageiras. São nesses momentos de total perda em nossa mente e em nós mesmos q…

Não perca seu limite de vista - Resenha É Assim Que Acaba (CONTÉM SPOILERS)

Há alguns dias terminei um livro chamado É Assim Que Acaba, da autora Colleen Hoover, e no início não me encantei pelo livro, pelo o contrário, achei um livro bem morno até o capítulo 3 até que BOOM, lá estava eu apaixonada.
  A trama gira em torno da história de uma garota comum Lily, que conta seu romance com Ryle e também de seu primeiro amor, Atlas. A autora ainda narra um ponto muito importante  para história, que é o relato do relacionamento extremamente abusivo entre seu pai e sua mãe e, Lily, sendo expectadora desse relacionamento, traz aquele famoso questionamento que todos temos quando vemos uma vítima de violência ou um relacionamento abusivo "Por que ela não deixa esse homem, se ela sofre tanto com o relacionamento?" e a autora responde de maneira tão genial essa questão, que faz com que esse livro esteja na lista dos meus favoritos.
  Em determinado momento Lily Bloom, que havia prometido a si mesma que jamais passaria pelo que a mãe passou - e no livro ela até fa…